Nota de pesar: Ir Alice Ferreira de Oliveira Fontana



Alice nasceu em Ipaussú-SP em 27 de abril de 1935, filha de Narciso Ferreira de Oliveira e Maria José dos Santos de Oliveira.
Quando jovem, frequentava o Convento das Irmãzinhas da Imaculada Conceição.  Gostava muito de estar com as Irmãzinhas e aprendeu muito com elas, inclusive a costurar.
Sentiu em seu coração o chamado para a Vida Religiosa, mas temeu que seus pais não pudessem comprar o enxoval que na época precisava levar para o convento. Sentia-se muito feliz dando catequese para as crianças da fazenda onde moravam.
O tempo passou e Alice não tornou-se Irmãzinha mas casou-se com Valdomiro Fontana, no dia 27 de Setembro de 1953.
Mesmo assumindo a vocação de esposa e mãe, Ir Alice foi sempre muito dedicada às coisas da Igreja, especialmente como ministra da Eucaristia. No dia 29 de maio de 1997 seu esposo faleceu, vítima de uma úlcera estomacal. Como viúva, continuou em Tangará da Serra onde pôde se dedicar ainda mais a um lindo trabalho, junto com Deonilde nas visitas às famílias carentes e aos doentes.
Depois de um tempo de discernimento e acompanhamento, no dia 11 de fevereiro de 2002, Alice ingressou na Companhia das Discípulas juntamente com sua amiga e companheira Deonilde Maria Laurini. As duas fizeram uma bonita caminhada e se consagraram totalmente a Deus no dia 26 de maio de 2002, junto com nossa Madre Regina Maria da Silva.
Como religiosa, Ir Alice morou em Diamantino, Nortelândia e Nova Mutum, desenvolvendo muitos trabalhos, tais como: acompanhamento das nossas formandas, trabalhos no seminário diocesano, no bispado, visita aos doentes, ajuda caritativa aos mais necessitados e tudo quanto a ela fosse pedido.
Após uma longa e difícil caminhada de enfermidade, Ir Alice partiu dia 07 de julho de 2016, às 4,30h em Nova Mutum, com 81 anos,  para os braços do Pai que a acolhe com amor e misericórdia, deixando à Companhia um bonito testemunho de serviço, doação e amor ao próximo e muitas saudades no coração das Irmãs, formandas, filhas, filho, netos, netas, bisnetos, genros e nora.

Ao escrever sua história pessoal, Ir Alice deixa a nós uma mensagem:

“Quem tiver a vocação ao chamado, não deixe o tempo passar! Venha enquanto é jovem! Pois, o tempo passa e há muito o que fazer. É maravilhoso trabalhar para Jesus. Ah... como eu gostaria... Peço à Maria Santíssima que me ajude a buscar a purificação e a santificação. Graça santificante é um presente sobrenatural, divino. Acima do que podemos imaginar!”











Nenhum comentário:

Postar um comentário